Texto principal
logotipo do visibilidade.net: Visibilidade.net, estar presente na web não basta Inscreva-se para receber na sua caixa de correio electrónico novidades do Visibilidade.net.
 

  » Início

  » Artigos

  » Contactos

  » Divertimento

  » Glossário

  » Notícias

  » Perguntas frequentes

  » Sobre

  » Utilidades
   » Subscrição

  » Siga-nos no Facebook

Início > Artigos > Porque é que a web de Portugal tem má qualidade?

Porque é que web de Portugal tem má qualidade?

A resposta é imediata: porque os requisitos dos utilizadores não são considerados no processo de desenvolvimento dos sítios web.

No meio empresarial nacional, as tecnologias de informação são maioritariamente utilizadas para suportar sistemas internos às empresas não disponíveis na web como por exemplo sistemas de facturação, gestão de clientes ou stocks.

A maioria das profissionais de tecnologias de informação (TI) trabalha em regime de consultoria, sendo contratados para realizar um determinado projecto de acordo com os requisitos do cliente.  

Os profissionais de TI têm o grande objectivo de deixar o cliente satisfeito (é este que lhes paga!), por isso irão esforçar-se para satisfazer todos os requisitos do cliente.

Este método normalmente funciona bem porque todos os intervenientes ficam satisfeitos. 

Mas não funciona no contexto da web porque faltam incluir os principais interessados nestes sistemas: os utilizadores da web, pois estes já não são o cliente que contratou a empresa de TI.

O erro mais frequente é os clientes e os profissionais de TI acharem que conseguem derivar os requisitos dos utilizadores da web baseando-se na sua experiência pessoal.

Isto é muito difícil de acontecer, uma vez que tanto o cliente como o profissional de TI conhecem muito bem a lógica interna do negócio e o sistema que suporta o sítio web. Ao passo que, o utilizador da web dificilmente conhecerá o método de funcionamento interno da empresa do cliente e irá apenas conhecer uma parte do sistema.

O único objectivo do utilizador da web é encontrar a informação ou o serviço que necessita  para resolver o seu problema. 

Na empresa do cliente é possível dar formação aos utilizadores para que estes possam tirar partido dos sistema internos desenvolvidos.

Na web isto é impossível porque os potenciais utilizadores são todo o mundo que domine a língua em que o sítio web está escrito.

Além disso, os utilizadores da web não podem ser obrigados a usar o sistema e é preciso ter sempre presente que os utilizadores da web são cada vez mais impacientes e tem controlo absoluto sobre as suas decisões. Se encontrarem dificuldades ao usar um sítio web simplesmente desistem e vão procurar uma alternativa.  

As boas notícias são que a criação de sítio webs de qualidade que satisfaçam os seus utilizadores não é um problema novo e tem sido estudado desde o início da web. Por ano são publicados cerca de 1000 artigos científicos directamente relacionados com web design e usabilidade. Felizmente, para quem cria sítio webs não é necessário lê-los todos, pois têm sido criadas metodologias de desenvolvimento, normas e recomendações específicas baseadas nestes estudos.  

Um profissional que desenvolva sistemas baseados na web tem a obrigação de conhecer e respeitar estas boas práticas. A criação de um sítio web de qualidade passa por incluir potenciais utilizadores no processo de desenvolvimento fazendo testes de usabilidade.  

Em suma, a qualidade dos sítios web portugueses deixa a desejar porque não se seguem as boas práticas de publicação na web e não se dá importância aos utilizadores finais.  

Fevereiro, 2009
/Daniel Gomes

SocialTwist Tell-a-Friend
Página com ligações robustecidas pelo Arquivo.pt.